Pedroto


Pedroto - O "Mestre"
21 de Outubro de 1928 - Lamego

Posição: Médio

Internacionalizações: 17 

Clubes Representados: Leixões ; Lusitano de Vila Real de Sto. António ; Belenenses ; F.C.Porto

CAMPEÃO NACIONAL 55-56, 58-59

TAÇA DE PORTUGAL 55-56, 57-58


Responsável técnico pela reestruturação que levou o F.C.Porto de novo a ser Campeão Nacional após 19 anos de jejum, na década de 70, e a entrar na ribalta internacional a partir daí, José Maria Pedroto durante os anos 50 foi um dos melhores jogadores nacionais. Já então revelara as suas qualidades de líder.

Pedroto começou a jogar futebol federado no Leixões com 18 anos. Do clube de Matosinhos transferiu-se por força de ter de efectuar o serviço militar no Algarve para o Lusitano de Vila Real de Sto. António, onde começou a dar nas vistas. Daí deu o salto para o Belenenses numa altura em que todos os grandes do futebol português já o cobiçavam.



O F.C.Porto em 1952 tentou de novo assegurar o seu concurso. Para dar a missão por cumprida, desembolsou 500 contos, o que tornou a sua transferência a mais cara de sempre do futebol português. Eram número verdadeiramente impressionantes (e mesmo escandalosos) para a época. No F.C.Porto foi ainda melhor jogador do que havia sido antes. Foi um organizador brilhante, dono de um remate colocado e poderoso.

Ele, Virgílio, e Carlos Duarte proporcionaram e concretizaram centenas de golos. Eram os membros da famosa "fonte das sete bicas" que levou o F.C.Porto de novo à conquista dos títulos e das suas primeiras Taças de Portugal. Logo na primeira época no F.C.Porto chegou à Selecção Nacional e nos cinco anos seguintes voltaria a representar Portugal em mais 16 ocasiões.

Abandonou a prática em 1960. No ano seguinte abraçou a carreira de treinador e logo levou Portugal ao seu primeiro Ttulo Europeu de Juniores. Nos 25 anos que se seguira, por onde passou criou equipas de grande categoria, mas foi ao F.C.Porto, o clube de Pinga, o seu grande ídolo de infância, que proporcionou maior glória. Faleceu no Porto, em sua casa, bem perto do Estádio das Antas em 1985.

























HOMENAGEM DE DESPEDIDA









































Sem comentários: