Campeonato Nacional 58/59

CAMPEÃO NACIONAL 58-59

24 JORNADAS- 17 V. 7 E. 2 D. - GOLOS 81-22
... O DO FAMOSO CALABOTE

Sobre este título há um nome que vai atravessar toda a história do F.C.Porto, e que nada tem a ver com o clube. Chamava-se Inocêncio Calabote, era árbitro de futebol, e foi irradiado no final deste campeonato. Ora porquê?

Bélla Guttmann, húngaro, tinha chegado às Antas disposto a afastar os "traumas" provocados por duas épocas em que o F.C.Porto deixara escapar dois campeonatos pela diferença de golos. O mais escandaloso de todos aconteceu em 56/57, quando nas últimas jornadas, tendo como adversário o frágil e já despromovido Atlético, um empate a zero deixou que o título fosse para Alvalade.

Ora, Bélla Guttmann ordenou a equipa e partiu para uma grande época. Tinha jogadores para isso, Hernâni, Monteiro da Costa, Carlos Duarte, Virgílio, Miguel Arcanjo, Américo, enfim um luxo de equipa. O campeonato foi disputado taco a taco e chegava-se à última jornada e mais uma vez tudo se podia decidir pela difrença de golos. F.C.Porto e Benfica tinham o título ao alcance, e como havia empate entre as duas equipas (39 pontos), e no confronto directo (0-0 nas Antas, e 1-1 na Luz), a última jornada tudo ia decidir. O F.C.Porto jogava em Torres Vedras com o Torreense, e o Benfica recebia a CUF.

O árbitro Inocêncio Calabote já devia saber ao que ia, e começou logo por atrasar o jogo do Benfica que começou oito minutos mais tarde, para controlar o que se passava em Torres Vedras. O Benfica precisava de ultrapassar uma diferença de quatro golos. Chegou aos 7-1, com Calabote a marcar três penálties e a empurrar o Benfica para a goleada. A um minuto do fim, e com o F.C.Porto a vencer apenas por 2-0 o título estava entregue na Luz por Calabote. Mas, em Torres Vedras, Teixeira, mesmo em cima do fim do jogo, marcou o terceiro golo e a taça que já ia a caminho de Lisboa, deu meia volta e foi para o Porto.

A festa foi tremenda, no Porto festejava-se não só o título, como também aquilo que consideravam ter sido uma tremenda tentativa de "batota". Calabote foi irradiado pela FPF, mas o seu nome ainda hoje é recordado.



















O JOGO DECISIVO EM TORRES VEDRAS

























Sem comentários: