Taça de Portugal 57/58

Estádio Nacional: F.C.Porto 1 - Benfica 0 - Golo de Hernâni

Eliminados sucessivamente o Sp.Braga, Marítimo, Sporting, e Desportivo de Lourenço Marques, restava vencer o Benfica para selar a época. Numa partida em que a dureza ficou no limite da violência e o F.C.Porto actuou sem Pedroto, a sua estrela maior, um golo de Hernâni aos 52 minutos, foi suficiente para o capitão Virgílio poder subir à Tribuna de Honra e levantar a Taça de Portugal. A festa voltou à cidade, e nos Aliados a multidão exultou.

Yustrich não acabou a época cabendo a José Vale (central de 1953-1955) fazer a ponte até à chegada de Otto Bumbel ainda a tempo de levar a equipa à conquista de nova Taça de Portugal, depois de perdido um campeonato discutido de princípio ao fim renhidamente.

O título só não seria renovado, porque iguais em pontos, os confrontos directos favoreceram o Sporting. Uma nota relevante para salientar o golo marcado baliza a baliza pelo guarda-redes Acúrcio na vitória fora por 3-1 sobre o Belenenses, e outra para relembrar uma decisão inédita tomada pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que puniu Virgílio, o "leão de Génova", que lesionara nas Antas o benfiquista Fernando Caiado, com uma suspensão a durar até ao momento em que o adversário voltasse à actividade. Voltou passados dois meses, e punição igual... nunca mais voltou a acontecer.



















Sem comentários: